• Bruno Ferraz

Síndrome do QT longo: características clínicas


Paciente de 36 anos, com história de depressão em uso de fluoxetina, sem outras comorbidades, vem para o hospital por síncope. Realizado o ECG (figura abaixo). Sobre o diagnóstico mais provável, é correto afirmar, EXCETO:


A) É uma síndrome potencialmente letal e é facilmente detectável ao ECG que estará sempre alterado.

B) A manifestação inicial pode ser com um episódio de síncope ou até mesmo em eventos fatais.

C) É um distúrbio genético, autossômico dominante.

D) Pode ser de origem genética ou adquirida.

E) Todas as afirmativas acima estão corretas.

RESPOSTA:

A síndrome do QT longo é um distúrbio geneticamente heterogêneo, herdado em um padrão autossômico dominante, que compreende um grupo distinto de patologias dos canais cardíacos caracterizada pelo retardo na repolarização. É potencialmente letal, podendo conduzir para morte súbita. Pode manifestar ou não em um ECG normal com 12 derivações no repouso. Muitas vezes a manifestação inicial acontece como evento fatal sentinela. Estímulos externos, mesmo que raramente tragam consequências elétricas, podem causar arritmia. Muitas mortes súbitas cardíacas são explicadas por esta síndrome após realização de necropsia. Pode ser de origem genética ou adquirida (como no caso em questão: paciente fazia uso de antidepressivos). Geralmente acomete mulheres.

Portanto, a resposta é o item A:

É uma síndrome potencialmente letal e é facilmente detectável ao ECG que estará sempre alterado.


Comentário por:


FERNANDA HENRIQUES PINTO

Rotina da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Albert Schweitzer

Plantonista Unidade Cardiointensiva do Hospital Barra D'Or

Pós-Graduação em Cardiologia - IECAC

#QTlongo #antidepressivos

0 visualização