• Bruno Ferraz

O que é o realce tardio na ressonância magnética cardíaca?


Paciente com historia de IAM prévio, apresenta onda q de necrose em parede inferior. Vem em acompanhamento regular, com medicação otimizada, porem relata episódios de mal estar inespecífico, nega dor ou cansaço. Médico assistente opta por solicitar ressonância magnética cardíaca com pesquisa de isquemia miocárdica. Dentre os resultados abaixo, qual seria o laudo mais provável do paciente?

A) Realce tardio transmural em segmentos inferior apical, médio e basal. Acinesia nos referidos segmentos. Ausência de viabilidade nesses segmentos. Ausência de isquemia miocárdica.

B) Realce tardio subepicárdico em parede ínfero-lateral. Hipocinesia nos referidos segmentos. Ausência de isquemia miocárdica.

C) Realce tardio subendocárdico difuso. Hipocinesia difusa. Ausência de isquemia miocárdica.

D) Ressonância magnética cardíaca não esta indicada nesse caso.

E) Nenhuma das acima

RESPOSTA:

A técnica de realce tardio na RM de coração (RMC) se baseia em sequência ponderada em T1, após a infusão de gadolineo. O gadolineo não penetra membranas celulares íntegras e, assim, tem distribuição extracelular. Nas regiões de infarto, ocorre ruptura das membranas dos miócitos necróticos e, desse modo, o gadolineo pode se distribuir livremente. Além disso, a necrose dos miócitos também causa alteração da cinética de distribuição do contraste, de modo que a saída do gadolineo das áreas de infarto ocorre mais lentamente (delayed washout). Esses dois fatores fazem com que a concentração do contraste, cerca de 10 a 20 minutos após a injeção, seja muito maior nas regiões necróticas do que no tecido miocárdico normal, tornando as áreas de infarto brancas (sinal intenso) nas imagens de realce tardio.

A RMC com técnica de cine-RM permite o mesmo tipo de análise da contratilidade segmentar que a ecocardiografia. Entretanto, ao combinar essa informação com as imagens da técnica do realce tardio, a RMC permite determinar com precisão o tecido miocárdico atordoado e a necrose irreversível.

A avaliação da extensão (“transmuralidade”) das regiões de necrose e/ou fibrose do miocárdio permite predizer, com excelente acurácia, a probabilidade de recuperação da função regional após a revascularização, seja ela cirúrgica ou percutânea.

As opções b e c descrevem, respectivamente, o realce tipicamente encontrados em casos de miocardite e amiloidose. Portanto, a resposta é A:Realce tardio transmural em segmentos inferior apical, médio e basal. Acinesia nos referidos segmentos. Ausência de viabilidade nesses segmentos. Ausência de isquemia miocárdica.


Comentário por:


MARIÁ CARDOZO DE MEDINA COELI

Plantonista da Unidade Cardiointensiva do Hospital Barra D'Or

Residente de Imagem Cardíaca - CDPI

Residência Médica em Clínica Médica e Cardiologia

#realcetardio #ressonanciacardíaca

5,098 visualizações

Questões em Cardiologia Cursos LTDA

CNPJ: 35.622.540/0001-91

Todos direitos reservados