• Bruno Ferraz

Como avaliar o perfil hemodinâmico na insuficiência cardíaca?


Paciente de 68 anos, hipertenso, coronariopata com IAM há 5 anos, uso irregular de medicação, alega dispnéia progressiva evoluindo para dispnéia em repouso. Ao exame físico: PA 122 x 72mmHg FC: 102bpm SpO2: 84% FR: 32irpm

Sonolento, interage algo com o examinador, extremidades frias, corado, hidratado

Crepitações audíveis até ápices pulmonares. RCR 3T B3 SS2+/6+ FM. TJP a 45º.

Abdome globoso, ascítico, peristalse débil

Membros com edema 3+/4+, pulsos filiformes

Qual é o perfil hemodinâmico desde doente com insuficiência cardíaca e qual o tratamento mais adequado na admissão?

A) Quente-Úmido; Vasodilatadores, morfina, diuréticos e VNI

B) Frio-Úmido; Vasodilatadores, diuréticos, VNI e betabloqueador

C) Frio-Úmido; Vasodilatadores, inotrópicos, diuréticos e VNI

D) Frio-Seco; Inotrópicos, intubação orotraqueal e balão intraórtico

E) Quente-Seco; Vasodilatadores, intubação orotraqueal e morfina

Resposta:

Na avaliação inicial do paciente com quadro de insuficiência aguda, reconhecer o perfil hemodinâmico é importante para guiar metas terapêuticas. Basicamente, analisamos a perfusão e congestão sistêmica. Pacientes bem perfundidos são considerados "quentes", caso contrário, "frios". Pacientes congestos são considerados "úmidos", caso contrário "secos".

São sinais de má-perfusão sistêmica:

- Extremidades frias

- Baixo débito urinário

Estado mental alterado

Pouca resposta ao diurético

Azotemia pré-renal

São sinais de congestão:

- Turgência jugular

- Refluxo hepatojugular

- Edema periférico

- B3

- Falta de ar

- Ortopnéia

- Crepitações

- Ganho de peso

Em pacientes com perfusão alterada, as metas terapêuticas visam melhorar a perfusão, geralmente com agentes inotrópicos e garantindo oxigenação adequada. Em pacientes com congestão, o foco é a eliminação de líquidos pelo organismo, geralmente com vasodilatadores e diuréticos.

No paciente da questão, temos diversos sinais de congestão e má-perfusão, configurando um perfil frio-úmido. Mesmo que a pressão esteja adequada, esse paciente deve receber suporte inotrópico, além de vasodilatadores e diuréticos em dose alta. A VNI é uma excelente opção já que a oxigenação não está adequada e o paciente apresenta nível de consciência parcialmente preservado. Se o paciente estiver em uso de betabloqueador, ele deve ser suspenso ou reduzido pela metade (avaliação caso a caso), assim como o IECA ou BRA.

Portanto, a resposta correta é o item C:

Frio-Úmido; Vasodilatadores, inotrópicos, diuréticos e VNI


Postado por:


BRUNO FERRAZ DE OLIVEIRA GOMES

Médico rotina do Unidade Cardiointensiva do Hospital Barra D'Or

Ecocardiografista do Hospital Barra D'Or

Diretor Administrativo do Departamento de Doença Coronária da SOCERJ

Intensivista no Hospital Federal Cardoso Fontes

Mestrando em Engenharia Biomédica na COPPE/UFRJ

Título de especialista em cardiologia e terapia intensiva

www.drbrunoferraz.com.br

#perfilhemodinâmico #insuficienciacardiaca

0 visualização