• Bruno Ferraz

Miocardite: informações importantes


Assinale a alternativa verdadeira em relação a miocardite:

A) A miocardite é mais prevalente no sexo feminino, sendo considerada uma das principais causas de morte súbita no idoso.

B) A biópsia endomiocárdica é fundamental nos casos de grave disfunção ventricular a fim de se estabelecer o diagnóstico e iniciar terapia apropriada.

C) A quantidade de área necrosada à Ressonância Magnética não tem relação com o prognóstico.

D) A ocorrência de fibrilação atrial na fase aguda da miocardite indica necessidade de cardioversor implantável.

Resposta:

Miocardite é uma doença cardíaca inflamatória, que pode ser causada por infecções, substâncias tóxicas ou processos autoimunes. Este processo inflamatório caracteriza-se por uma fase aguda onde observa-se resposta imune, e por uma fase crônica no caso da não eliminação do agente causal. A miocardite é mais prevalente no sexo masculino, sendo considerada uma das principais causas de morte súbita no jovem.

Pode decorrer de diversas causas infecciosas e não infecciosas sendo a miocardite secundária por infecção viral a forma mais prevalente.

A biópsia endomiocárdica é considerada o melhor método diagnóstico na miocardite. Permite em muitos casos a elucidação etiológica e o adequado tratamento, principalmente nas formas mais agressivas de miocardite. Em recente revisão publicada pela Sociedade Europeia de Cardiologia as recomendações de biópsia foram extendidas, incluindo pacientes com pseudo infarto após exclusão de doença coronariana. Esta mudança reflete a generalização de técnicas de detecção de genoma viral e imunohistoquimica.

A ressonância magnética cardíaca é considerada excelente método na detecção de fibrose e inflamação miocárdica. Ajuda também na definição do prognóstico, já que quanto maior a área de fibrose (realce tardio) pior é a evolução.

A ocorrência de arritmia na fase aguda da miocardite é comum. Os pacientes que se encontram na fase aguda de miocardite podem desenvolver tanto taquiarritmias como bradiarritmias. Essas arritmias frequentemente desaparecem após a fase aguda da miocardite, sendo a terapia, habitualmente, de suporte.

Geralmente não se recomenda terapia antiarrítmica para extrassístoles atriais e ventriculares assintomáticas. Casos em que se observa grande área de necrose estão associados a maior incidência de arritmias ventriculares na fase tardia. Estes pacientes deverão ser acompanhados de perto. O implante de cardio-desfibrilador (CDI) está indicado, na presença de terapia medicamentosa otimizada, em pacientes que desenvolvem cardiomiopatia dilatada na fase crônica da miocardite.

A resposta correta é a letra B. Todas as demais estão incorretas.


Comentários por:


ANDRE CASARSA MARQUES

Médico Rotina da Unidade Cardiointensiva - Hospital Barra D'Or

Ecocardiografista e Intensivista - HUGG

Título de especialista em Cardiologia - SBC

Título de especialista em Medicina Intensiva - AMIB


#Miocardite

404 visualizações

Questões em Cardiologia Cursos LTDA

CNPJ: 35.622.540/0001-91

Todos direitos reservados