• Bruno Ferraz

Novas recomendações para profilaxia de endocardite infecciosa


Sobre as novas recomendações a respeito da profilaxia de endocardite infecciosa, é INCORRETO dizer:

A) A profilaxia deve ser feita antes de procedimentos genitourinários, mesmo sem infecção ativa.

B) A profilaxia deve ser feita em pacientes com história de implante percutâneo de valva aórtica

C) A profilaxia não deve ser feita antes de procedimentos gastrointestinais sem infecção ativa

D) A profilaxia não deve ser feita em portadores de prolapso de valva mitral

E) A profilaxia deve ser feita em pacientes com história de anuloplastia de valva mitral

RESPOSTA:

Foi publicado recentemente o Guideline da AHA/ACC para manejo de pacientes com Doença Valvar. Houve mudanças nas recomendações de profilaxia de endocardite infecciosa.

Dados prévios limitaram as indicações de profilaxia a situações bem restritas. Contudo, novos dispositivos surgiram e novas dúvidas também. Ainda existem muitas dúvidas a respeito do efeito protetor da redução da bacteremia mas parece mais claro que existem pacientes de maior risco assim como procedimentos de maior risco.

Estudos realizados após a última recomendação são conflitantes quanto a incidência de endocardite. Alguns dizem que a incidência aumentou e outros dizem que não houve alteração. Os autores chegaram a conclusão que a antibioticoprofilaxia é recomendada em pacientes com maior risco de desenvolver endocardite ou quando a endocardite pode ser um quadro catastrófico. Não há evidência para profilaxia antes de procedimentos gastrointestinais e genitourinários, na ausência de infecção ativa

As novas recomendações sugerem profilaxia nos doentes abaixo:

Pacientes após procedimentos dentários que envolvem manipulação de gengiva, da porção periapical do dente ou perfuração da mucosa oral e:

1. Próteses valvares, incluindo próteses de implante percutâneo

2. Material protético usado em reparo valvar (anel de anuloplastia, por exemplo)

3. Endocardite prévia

4. Cardiopatia congênita cianótica não corrigida ou corrigida com shunt residual ou regurgitação adjacente ao sítio do patch corretivo

5. Transplante cardíaco prévio com regurgitação valvar secundária a defeito estrutural valvar

Com isso, o resposta incorreta é a letra A: A profilaxia deve ser feita antes de procedimentos genitourinários, mesmo sem infecção ativa.


Comentário por:


BRUNO FERRAZ DE OLIVEIRA GOMES

Médico rotina do Unidade Cardiointensiva do Hospital Barra D'Or

Ecocardiografista do Hospital Barra D'Or

Diretor Administrativo do Departamento de Doença Coronária da SOCERJ

Intensivista no Hospital Federal Cardoso Fontes

Mestrando em Engenharia Biomédica na COPPE/UFRJ

Título de especialista em cardiologia, terapia intensiva e ecocardiografia

www.drbrunoferraz.com.br

#endocardite #Guideline2017 #valvopatias